sábado, 3 de novembro de 2012

"A Ciência Através dos Tempos" - Capítulo 10 - 2ºMA


Link: http://www.youtube.com/watch?v=ckMXdo7NFLs&feature=youtu.


Componentes: David Tavares                             N°: 11
                           Matheus Martins                                27
                           Victor Araújo                                      36

Série/ Turma: 2° M “A”

A Ciência Através dos Tempos

Capítulo 10 – Século XIX: A Ciência se Consolida

Ocorre nesse período o que chamamos de mais crucial: a migração do creacionismo para o evolucionismo.
O século XIX foi o grande período que a ciência se consolidou e passou e definir marcas na caminhada da humanidade. O homem buscava, na ciência, repostas às suas interrogações sobre a natureza, agora a ciência passa a interferir na própria natureza, a determinar novas maneiras de viver.
Nesse século, entre inúmeros titãs que mudaram a maneira de a humanidade pensar, há dois que se sobressaem, são eles: Darwin e Marx. Mais antes, olhemos as evoluções da química e a física.
A química: da análise à síntese
O século XIX foi o grande século da química. Os pontos mais importantes são:
1 – A superação da ideia flogisticista e o esclarecimento da combustão por Lavoisier faz surgir novas investigações sobre a natureza das substâncias.
2 – Há um predomínio francês na investigação química, devido à fama deixada por Lavoisier e pelo brilhante trabalho de seus continuadores, como Berthollet, Gay-Lussac, Chevreul e Dumas.
3 – São estabelecidas as leis das combinações, destacando-se os trabalhos de Benjamim Ritcher, Ernst Fischer e Joseph L. Proust.
4 – Depois desses avanços surgiu a indústria química. A primeira contribuição foi no final do século XVIII, Lavoisier proporcionou explosivos de boa qualidade ao governo francês. A fabricação de soda cáustica feito por Nicolas Leblanc (1742-1806). O estadunidense John Hyatt (1937-1902) descobre o primeiro plástico artificial. A produção industrial de alumínio, a partir da eletrólise do óxido de alumínio, foi idealizada, pelo estudante norte-americano Charles Martin Hall (1863-1914) e pelo metalurgista francês Louis Héroult (1863-1914).  
A física: a eletricidade muda a maneira de viver
Os estudos mais desenvolvidos no campo da física, no século XIX, foram sobre a eletricidade e o eletromagnetismo. Discutia-se, no fim do século XVIII e no século do século XIX, se a eletricidade era um fluido imponderável como o calor.
Um dos nomes mais geniais na história da eletricidade é o britânico Michael Faraday (1791-1867), com significativa contribuição no campo da eletroquímica e a quem devemos as importantes leis da eletrólise de Faraday. Faraday nesse período fez uma série de descobertas que conduziram a muitas aplicações práticas, como os motores e geradores elétricos, os trens e bondes elétricos, o suprimento da eletricidade pública, as centenas de inventos patenteados pelo estadunidense Thomas Alva Edison (1847-1931) e o telefone elétrico inventado pelo estadunidense Alexander Graham Bell (1847-1922).
Charles Darwin: a sobrevivência dos mais aptos
Entre todos os nomes da ciência, nenhum foi tão polêmico e ao mesmo tempo tão ridicularizado ou gerou tantas resistências aos resultados de suas observações científicas quanto Charles Roberto Darwin (1809-1882), nascido na Inglaterra e conhecido como “Newton da biologia”. Darwin mudou a visão de nosso passado. Durante 05 anos (1931-1836), o jovem Charles viveu determinando toda a sua carreira de pesquisador e sepultando seu desejo de ser ministro religioso e ele serviu de geólogo, zoológico, botânico e assessor científico, realizando coletas extensas e intensas de animais e plantas, fósseis e vivos, terrestres e marinhos e verificou que, embora semelhantes alguns animais apresentavam variados graus de diferenciação e em 1842 com 230 páginas publicou o livro chamado A origem das espécies procurando explicar o aparecimento e o desaparecimento das espécies, por que surgiram e se modificavam com o tempo e algumas até desapareciam.
Karl Marx: um profeta muito amado e muito odiado
O retrato de Marx que emerge das diferentes biografias é o de uma personalidade enérgica e corajosa, polêmica e veemente, apelando para todas as suas incomodadas e pesadas formas armas filosóficas e revelando um intelecto poderoso e astuto, reconhecido mais tarde até pelos que lhe foram mais hostis. Filósofo e cientista social nascido em Trie, em 1818, de uma família alemã judia. Marx mostra o quanto os operários são explorados na venda de sua força de trabalho, e isso é feito com tratamento científico o que justifica a afirmação: “Assim como Darwin descobriu a lei da evolução na natureza orgânica, Marx descobriu a lei da evolução na história humana”. Lutas de classes, e as tentativas para suprimi-las ou diminuí-las, são a tônica de O capital, no qual os argumentos contra o capitalismo são expostos a fim de demonstrar ser inevitável seu desaparecimento. 
      

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário